Quanto cobrar por um serviço em informática? Parte 3

Bem vindo a parte 3 do nosso tutorial. Nós vimos na primeira parte desse tutorial como eu faço para cobrar os serviços prestados por mim e apresento o passo a passo de como fazer os cálculos de uma maneira bem didática, incluindo uma planilha em Excel para realizar esses cálculos facilmente.

Na segunda parte começamos a abordar um método mais completo, começando pela diferença entre custo, preço e lucro.

Nesta terceira parte vamos aprender como colocar preço em nossos serviços através de uma fórmula bem simples e muito útil. Acompanhe!


 

COMO COLOCAR PREÇO EM NOSSOS SERVIÇOS


Vamos começar apresentado a fórmula que vamos utilizar durante esse nosso tutorial:



Vamos entender a fórmula:

PREÇO: É o valor final que o cliente pagará pelo serviço, incluindo mão de obra, materiais utilizados, serviços prestados por terceiros e custos especiais (impostos, INSS, lucro, etc)

MATERIAL: É todo o material empregado no serviço: cabos de rede, conectores, HD, memória, etc.

SERVIÇOS: Aqui entra o valor da mão de obra do serviço prestado.

SERVIÇOS DE TERCEIROS: Colocamos aqui o valor da mão de obra dos serviços prestado por outra pessoa. Por exemplo: você foi fazer um serviço de rede e precisou instalar uns conduítes na parede. Para esse serviço foi necessário contratar um pedreiro para quebrar a parede, colocar os conduítes e fechar a parede novamente. Isso seria o serviço de um terceiro.

CEV ( Custos Especiais de Venda ): São valores expressos em porcentagem e que são aplicados ao preço de venda.

Vamos ver detalhadamente cada um dos itens.

DESPESAS RELACIONADAS AO MATERIAL


Entra aqui todo o material ou componentes que serão utilizados no serviço. Digamos que você irá trocar uma fonte de alimentação no computador de seu clientes. A fonte de alimentação entra como material direto.

Agora se você for fazer uma instalação do sistema operacional, por exemplo, os CD's utilizados na instalação não entram como material direto e sim como material indireto, portanto não deve ser cobrado do cliente.

DESPESAS RELACIONADAS AO SERVIÇO


Aqui entra o valor da mão de obra do serviço que está sendo prestado. Se o trabalho realizado foi a troca da fonte de alimentação então deverá ser cobrado o tempo que você levou para diagnosticar o problema, a remoção da fonte de alimentação antiga e a colocação da nova fonte de alimentação. Então deveremos multiplicar o tempo gasto no serviço pelo valor da hora técnica. Simples assim!

Agora vamos supor que você pegou um computador para instalar o sistema operacional e os programas de produtividade para um cliente. Normalmente você levaria aproximadamente 4 horas para instalar tudo e atualizar o Windows pelo Windows Update. Só que nesse dia você teve uma dificuldade imensa de encontrar os drivers de vídeo e som desse computador e acabou levando 6 horas para terminar o serviço ao invés de 4 horas. Seria justo então cobrar do cliente as 6 horas trabalhadas? Eticamente a resposta seria NÃO. Que culpa o cliente tem da sua dificuldade em encontrar os drivers? Nenhuma. Então o justo seria cobrar apenas pelas 4 horas que normalmente você levaria para terminar um serviço como esse.


DESPESAS RELACIONADAS COM SERVIÇOS DE TERCEIROS

Como foi dito um pouco mais acima, serviços de terceiros seriam a mão de obra de profissionais de outra área como um eletricista ou um pedreiro. Então o valor da mão de obra dele seria adicionado diretamente na nossa fórmula. Fazendo isso o cliente pagaria o valor total do serviço para você, restando apenas passar o valor da mão de obra para o outro profissional.

Só que isso gera um problema. Se aplicarmos o valor do serviço de terceiro diretamente na fórmula ira inflacionar o preço do serviço, tornando-o mais caro para o cliente. Vamos a um exemplo: suponhamos que você foi contratado para fazer um serviço, gastou R$ 150,00 de material e cobrou R$ 100,00 de mão de obra. Também precisou instalar uma tomada onde ficaria o computador e para isso solicitou o serviço de um eletricista que cobrou R$ 200,00. Com um CEV de 20% o preço final do serviço ficaria em:



Você irá notar que se fizer desse jeito será muito lucrativo para você, mas não será nem um pouco inteligente, pois o cliente estaria pagando o que não é justo.

Um jeito certo de fazer seria separando os serviços. O cliente pagaria o serviço diretamente para o eletricista que ficaria responsável por emitir sua própria nota fiscal ou RPA. Se assim for feito veja como fica a conta:



Então o cliente pagará R$ 200,00 para o eletricista  mais o seu serviço R$ 312,50, o que daria um total de R$ 512,50, R$ 50,00 a menos que o cliente teria que pagar.

Outro jeito seria cobrar um CEV diferenciado para serviços de terceiros. Ao invés de se cobrar um CEV de 20% seria cobrado um de 10%, sendo assim olha como fica a fórmula:



Perceba que se fizer assim você estará lucrando e o cliente estará economizando, ficando os dois em perfeita alegria :-)

Para encerrar essa nossa terceira parte, vamos ver o que significa a sigla CEV

CUSTOS ESPECIAIS DE VENDA (CEV)


Há que pensa que o CEV seria apenas a porcentagem o lucro aplicada ao serviço. Posso dizer que estão redondamente enganados. O lucro também entra no CEV assim como os impostos, as comissões e as despesas financeiras.

Suponhamos que você paga os seguintes impostos e comissões abaixo:

- Simples Nacional : 10 %

- Comissão dos vendedores: 5%

- Margem de lucro: 20%

Sendo assim você terá um CEV total de 35%.

Portanto se um cliente solicitou um serviço que custou R$ 500,00, já incluso nesse valor o material e mão de obra, e aplicarmos a fórmula, o cliente pagará o valor total de R$ 769,23.

Veja como fica o cálculo se desmembrarmos o valor de R$ 769,23 e aplicarmos separadamente a cada um dos valores que compõem o CEV.

- Simples Nacional : 10 % = R$ 76,92

- Comissão dos vendedores: 5% = R$ 38,46

- Margem de lucro: 20% = R$ 153,85

Valor total = R$ 269,23

Então se o cliente pagou R$ 769,23 sobraram exatamente os R$ 500,00 que são necessários para cobrir os custos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS DA PARTE 3


Encerramos a terceira parte do nosso tutorial sobre Quanto cobrar por um serviço em informática.

Nós vimos e aprendemos a colocar preço em nossos serviços de maneira correta e honesta. Na parte 4 vamos aprender a a utilizar o mapa de localização de custos que nos ajudará a calcular o valor da mão de obra dos serviços prestados.

Fique ligado a acompanhe os próximos posts.

CONTINUA...

Sucesso

Rodrigo Nascimento

Gostou?! Compartilhe!
Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário